28 de jan de 2009

Carroça.

Que a vida não é um mar de rosas todo mundo sabe - eu acho.
Que encontramos pedras no nosso caminho, isso também não é novidade.
Que infelizmente - mais muito infelizmente mesmo - existem pessoas secas de consciencia, arrogantes, mesquinhas... creio que todos já tenham tido o desprazer de se deparar com gente assim.
Mas também devemos saber - e sei que a grande maioria das pessoas sabem - que nunca devemos deixar de acreditar nas pessoas, não devemos deixar de ter em nós a esperança de que, mesmo os "maus" um dia poderão tornar-se "bons".
Na verdade, eu creio que essas pessoas, na verdade são pessoas que precisam de ajuda - e muita! - porque devem carregar traumas internos de dificuldades, rejeições. Lembro de uma estória que o meu professor de Psicologia, contou na sala, a respeito de carroça; era assim:
Havia um homem, peão de fazenda, que tinha um filho. Este sempre muito arrogante, um dia seu pai o levou para conhecer a fazenda na qual trabalhava, e no caminho parou embixo de uma árvore. Depois de algum tempo, o rapaz, já impaciente, perguntou ao pai, o por quê de estarem ali, então o velho pai, lhe disse que esperasse, que logo veria.
A árvore ficava próxima a uma estradinha, onde passavam muitas carroças.
Depois de certo tempo de espera, o pai disse ao filho: -escute, está vindo uma carroça. O rapaz no entanto, nada ouvia. Passou um tempo, e eis que a carroça surgiu. Algum tempo depois o pai disse outra vez: -está vindo outra carroça, e ela está cheia. O filho riu, duvidando. E pronto, a carroça surgiu, e como o seu pai lhe havia dito, estava carregada.
Mais algum tempo depois, e novamante o pai chamou a atenção do filho dizendo: -está vindo outra carroça, mas essa está vazia. O filho, atentou e percebeu que ouvia a carroça se aproximando, não tardou que ela passasse por eles.
Depois de muitas carroças, já voltando para casa, o filho perguntou ao pai, como ele sabia diferenciar quando uma carroça estava cheia ou vazia, foi quando o seu velho e sábio pai lhe disse: -é fácil saber, basta atentar para o barulho que ela faz. Quanto mais vazia, mais zoada. - e ele acrescentou mais ao filho - e assim também são as pessoas, quanto mais vazias, mais barulho elas fazem.

Eis hoje a minha estórinha a vocês, espero que lhes acrescente algo de positivo.

9 comentários:

LUA disse...

grata por comentar em meu blog, não nego elogios ao seu. adoro muito ele, por isso estou sempre aki
beeeijo

disse...

Adorei!

Adorei!

Grande abraço!

Amigao disse...

"Quanto mais vazia mais barulho...".
Faz todo sentido.
Gostei do blog, vou te lincar lá na turminha pra nunca esquecer de vir aqui.

Beijão do amigão!

Sabrina Paiva !!! disse...

Oieeee!
Nossa!Que post sábio!É realmente muito bom conhecer esses tipos de histórias,para refletirmos um pouco sobre a nossa vida.
Amei!
Bjo
^^Xauzinho^^

SamiAguiar disse...

Olááááá, Enfermeira!

Eu passei aqui no outro dia para comentar da template (gostei!), mas não consegui comentar. Sei lá.

É, guria; vou-te contar algo que se relaciona ao que tu escreveste: a locomotiva faz mais barulho parada (quando está tirando o valpor da caldeira) que andando. Ou seja, quem faz, não tem tempo para ficar fazendo barulho!

Obrigado por passar no meu canto. Bjo pra ti!

Dani M. disse...

OI Deeh, obrigada pela vilisa na minha casa.
Eu sou assim tb, acredito nas pessoas, tenho fé. Quebro a cara às vezes mas não desisto nunca de acreditar.
Quanto a história do pai e do filho, é sensacional e muito verdadeira "assim tb são as pessoas, quanto mais vazias, mais barulho elas fazem". Adorei. Vo adicionar sue blog no meu rpa te acompanhar. Bjinhos

LUA disse...

amoOoOoOooO
cocaaa

vicio meu^^
beeijo amore

Flávia e Kbça disse...

nossa. bem legal. ainda não tinha visto uma mensagem sobre esse assunto. muito legal essa!!

também acredito nas pessoas. acho que em algumas consigo escutar essses barulhos. mas assim como o filho, eu tenho que ver muitas carroças para acertar em cheio.

abraço.

Mister Wener disse...

Such cute cats!!
^^)