31 de mar de 2009

Luiz Gabriel no aniversário de 1 ano - fofuraaaa

Oiiiiii!!!

Muito obrigada pelos comentários desejando melhoras ao meu filho, graças à Deus ele está melhor, já está em casa, recebendo muuuuuuuuito amor e cuidados.

Não tá 100% serelepe como costuma ser, mas só de saber que el está curado, já me anima bastante.


Nesse meio tempo, já faz um tempinho que faço enfermagem, estou (graças à Deus) no 3° período, sem contratempos, eu e umas amigas criamos uma Liga Acadêmica de Enfermagem em Trauma e Emergências Clínicas - LAETEC; resolvi fazer um blog, para poder postarmos conteúdos da área, apesar da pouca experiência ainda na aréa, informar e esclarecer àqueles que muitas vezes por falta de conhecimento ou mesmo a escassez deste acabam fazendo, ou mesmo não fazendo uso de nenhum tratamento terapêutico.

Então, se por acaso vocês tiverem interesse segue o endereço do blog: LAETEC é só clicar e acessar.

Vocês podem participar das enqutes, fazer sugestões, críticas, tirar dúvidas, enfim, é mais um meio informativo, espero que gostem.


Beijo Grandeeee

27 de mar de 2009

Nenem da mamãe!



Ai gente, eu não tô muito boa não viu...
Meu filhinho, tadinho, está internado - ou melhor estamos, porque estou com ele - no Hospital pra tratar uma infecção na garganta, mas não é uma infecção simples, porque o microrganismo que o infectou é resistente aos antibióticos normalmente usados para tratar infecções brandas.
Ele está tão fraquinho, não brinca, não quer comer, só dorme, praticamente 16h por dia.
Ahh! Como eu queria ver meu neguinho correndo pela casa, bagunçando tudo, mexendo em tudo o que ele gosta, dirigindo o carrinho dele, pedindo pra ir brincar no pula-pula...
Mas ele vai ficar bom, eu sei.
Infelizmente o têm causado essas infecções - não só com meu filho, porque aqui na UPC, tem uns 3 casais amigos meus, que os filhos também estão internados - é essa bendita oscilação na temperatura.
Não é nada, tão graaave assim, mas pra uma mãe preocupada e um tanto quanto neurótica, é bem preocupante.
A vocês que estão no mundo aí fora, aproveitem bem o final de semana, e cuidem-se!
Ps.: Se olharmos para os lados, tem pessoas em situação bem pior.
Ps.: Obrigada Deus, porque isso não é nada tão grave - e porque tenho meios para tartar.

24 de mar de 2009

Novos Selos!






Primeiro, oi geeeente!!!
Recebi dois selos o primeiro da Sabrina, e assim como todo selo, este também tem as regrinhas, então vamos a elas!!
Tenho que citar sete coisas que me fazem sorrir.
*Olhar meus filhos sorrindo, sem dúvida alguma isso arranca um sorriso meu.
* Estar com pessoas que amo, e que têm o mesmo sentimento por mim.
* Quando faço algo e sou reconhecida por aquilo que fiz.
* Rio de mim mesma, quando acontece alguma situação embaraçosa - rir prá não chorar.
*Ver minha filha dançando Ballet - uma gracinha.
*Quando meu filho senta na caminha no meio da noite, ri sozinho e deita de novo - tal qual o pai - racho o bico.
*Quando me lembro dos bons momentos que vivi.
E agora, tenho que indicar esse selo para 7 Blogs.
E os "escolhidos" foram:
Águia - blog do meu Pai



......................



O outro selo eu ganhei da Lioness



“Esse selo é uma forma de adocicar o carinho das palavras doces. Selo do Néctar com o devido mel, para adoçar a gentileza da troca de ideias e ideais selados com afagos.”

Regras do selo:
1 - Exiba a imagem do selo que vc acabou de ganhar
2 - Poste o link do blog que te indicou.
3 - Indique até 10 blogs de sua preferência.
Repasso a:



22 de mar de 2009

Muitíssimo Obrigada!

A todos vocês que sempre passam por aqui, conferem as baboseiras (nem sempre baboseiras) que escrevo, e comentam.
Sem vocês esse blog não teria nenhum sentido.
Obrigadaaaaaaaa de verdade.
Adoro a visita de vocês, os recados, os poemas, os selinhos...
cada gesto de carinho!

20 de mar de 2009

Selinho Novo! *Adoooro*

Oi pessoas!!!

Ganhei mais um selinho, esse da Madrasta.


Muito Obrigada!!



Tô sem ter o"que conversar", ultimamente minha cabeça tá cheia de linfócitos, trofozoítos, farmácos, fatores de virulência, casos clínicos... deixa eu (como diz minha avó) me "aprumar".

Curtam muuuito o final de semana, obrigada pelos comentários, e pela força!

17 de mar de 2009

Acredito.

Acredito que todo o encanto de uma pessoa está em sua simplicidade, em sua veracidade de ações, palavras.
Acredito que o que nos torna pessoas boas, não aquilo que possuímos (a grande maioria das pessoas concordam, mas láaaaa no fundinho puxam "sardinha" de quem ta em vantagem).
Acredito que o adágio é verdadeiro quando nos diz: O essencial é invísivel aos olhos; uma vez que convivemos meses, anos com alguém e mesmo assim há sempre algo novo que esta pessoa nos apresenta.
Por vezes esquecemos que esse nosso miséro corpo físico se vai, que todosterão o mesmo desfecho, mas mesmo assim - infelizmente - existem pessoas que insistem em se achar superiores a outras apenas por ter um poder aquisitivo maior, um curso superior.
Acredito e quero continuar acreditando na beleza interna das pessoas.


Ps.: Só não abusa que besta eu não sou... rsrs


Beijo pessoas!!!

13 de mar de 2009

Compartilhando.

As nossas experiências, algumas, servem para compartilharmos com os outros, eu acredito, que em algum lugar alguém está passando por uma situação semelhante, mas encontra dificuldades em superar as dificuldades.
Por isso vim expor a minha dificuldade em encontrar uma pessoa realmente eficaz no processo de cuidar dos meus filhos.
Desde que comecei meu curso, sinto essa dificuldade, porque sempre a Cuidadora não é "cuidadora", ou é uma irresponsável, ou muito nojenta, ou é doente, ou pior ladra. Sinto mais dificuldade ainda, porque o pai dos meus filhos faleceu, eles ainda sentem (e vao sentir ainda mais) a ausência dele, a minha família não pode parar a rotina para me ajudar (todos têm suas ocupações), os tios paternos até se propuseram a ajudar, mas eu não agüentaria (nem agüento a hipótese) de me distanciar dos meus filhos - os tios que moram em outro estado queriam que eu mandasse as crianças para lá e fosse visitá-los nas férias (mas como mãe, MÃE, que sou, eu não sou capaz de sacrificá-los, nem a mim).
Aí já me perguntaram: Por que vc não procura em agência?! - Tô cansada de pagar quase R$ 200,00 prá essas "agências" e na hora eles trazem pras nossas casas, pessoas despreparadas, falsas, com um caráter 90% duvidoso. Eles "comem" nosso dinheiro e somem, como se nada acontecesse, e se nós (me desculpem o termo) "cagassemos" dinheiro.
A última que me apareceu, deixou minha filha de 4 anos toda molhada, pegar em um plug de tomada e levar um choque, deixou-a durante os dias que ficou aqui ela sem tomar café ou lanchar de manhã, estragou a metade das roupas deles... enfim me trouxe mais dor de cabeça do que ajuda.
Agora, por fim, encontrei uma Empresa séria, a Companhia Humanística, que partem de uma visão inovadora, ao menos aqui em São Luís, eles fazem o levantamento total da vida da pessoa (exames físicos, psicológicos, sorológicos, checagem de referência, antecedentes criminais...), o valor da taxa parece absurdo, mas levando em conta a segurança e principalmente a paz do lar, da criança, vale a pena, o plano com preço mais acessível é o de R$360,00, mas você dá, tendo a certeza de que não vai ser "o barato que vai te sair caro".
As proprietárias são Psicologas, Fisioterapeutas, Advogadas... o ambiente é agradavel, inspira segurança, eles se propõe a ensinar a pessoa a ser uma Cuidadora, tanto para crianças quanto para idosos.

A quem interessar possa deixo o site: Companhia Humanística


Beijos e bom final de semana!!!

9 de mar de 2009

Conhecendo o Transtorno do Défcit de Atenção com Hiperatividade (TDAH)

Olá pessoas,
Gente, eu tô tentando resolver o problema dos comentários viu?! (de novo!!!)
Estava fazendo umas leituras rotineiras e encontrei esse texto muito bom, sobre o TDAH, e gostaria de compartilhar com vocês, eu pelo menos tenho duas amigas que tem um filhotinho em casa com o TDAH, achei legal, e portanto, estou compartilhando com vocês.

A Associação Americana de Psiquiatria, através do DSM-IV, define o Transtorno do Déficit do Atenção com Hiperatividade (TDAH) como um padrão persistente de desatenção e/ou hiperatividade, mais freqüente e severo do que aquele tipicamente observado em indivíduos em nível equivalente de desenvolvimento e associado a algum prejuízo devido aos sintomas em pelo menos dois contextos, como: casa, escola ou trabalho.
Segundo a ABDA - Associação Brasileira de Déficit de Atenção - o Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico que aparece na infância e freqüentemente acompanha o indivíduo por toda a sua vida, e se caracteriza por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade.
Este transtorno tem recebido designações diferentes ao longo do tempo, e já é reconhecido oficialmente por vários países e pela Organização Mundial da Saúde (OMS).
A prevalência deste Transtorno tem sido pesquisada em países dos diversos continentes, e hoje estima-se que de 3 a 5% das crianças em idade escolar nas diferentes áreas geográficas ou regiões do mundo, inclusive o Brasil, sofrem do TDAH. Essas diversas pesquisas realizadas em todo o mundo demonstram que a prevalência do TDAH é semelhante em diferentes regiões, o que indica que o transtorno não é secundário a fatores culturais (as práticas de determinada sociedade, etc.), nem o modo como os pais educam os filhos ou resultado de conflitos psicológicos.
Estudos científicos mostram que portadores de TDAH têm alterações na região frontal e as suas conexões com o resto do cérebro. A região frontal orbital é uma das mais desenvolvidas no ser humano em comparação com outras espécies animais e é responsável pela inibição do comportamento (isto é, controlar ou inibir comportamentos inadequados), pela capacidade de prestar atenção, memória, autocontrole, organização e planejamento.
O que se encontra alterado na região cerebral é o funcionamento de um sistema de substâncias químicas chamadas neurotransmissores (principalmente dopamina e noradrenalina), que passam informações entre as células nervosas (os famosos neurônios).
Apesar de não se saber exatamente quais são causas do TDAH, algumas suposições têm demonstrado correlação como: hereditariedade (onde os genes parecem ser responsáveis não pelo transtorno em si, mas por uma predisposição ao TDAH); substâncias ingeridas durante a gravidez (algumas pesquisas indicam que mães alcoolistas têm mais chance de terem filhos com problemas de hiperatividade e desatenção); sofrimento fetal (estudos mostram que mulheres que tiveram problemas no parto que acabaram causando sofrimento fetal tinham mais chance de terem filhos), etc.
Convém lembrar que muitos destes estudos somente nos mostram uma associação entre estes fatores, mas não mostram uma relação de causa e efeito.
Com relação ao diagnóstico do TDAH podemos ressaltar que é fundamentalmente clínico, ou seja, através dos sintomas apresentados, baseando-se em critérios operacionais clínicos claros e bem definidos, provenientes de sistemas classificatórios confiáveis, como o DSM-IV e, de preferência, executados por uma equipe multidisciplinar (neurologista ou psiquiatra, psicólogo, psicopedagogo, fonoaudiólogo, etc.).
O DSM-IV propõe a combinação de pelo menos seis sintomas de desatenção e/ou seis sintomas de hiperatividade/impulsividade (freqüência e intensidade), por no mínimo 6 meses consecutivos (duração), que se apresentem em diversos aspectos da vida do indivíduo (persistência dos sintomas em vários locais) para o diagnóstico seja efetuado.
Configura-se essencial enfatizar que para o diagnóstico do TDAH é necessária uma avaliação cuidadosa de cada sintoma, compreendendo seu significado, sua freqüência, intensidade e duração, não somente através da listagem de sintomas.
No DSM-IV encontramos a divisão do TDAH em três tipos: o TDAH com predomínio de sintomas de desatenção; o TDAH com predomínio de sintomas de hiperatividade/impulsividade e o TDAH combinado ou misto.
O TDAH do tipo predominante desatento apresenta: falta de atenção sustentada, dificuldade de concentração, dificuldade em seguir instruções e completar tarefas, dificuldade em organizar-se objetos e de planejamento com o tempo, apresenta distrabilidade, problemas de memória a curto prazo, etc.
O TDAH do tipo predominante hiperativo/impulsivo apresenta: impulsividade no agir, faz muitas coisas ao mesmo tempo, não consegue se concentrar em somente uma tarefa, possui tendência a falar – comer – comprar compulsivamente, geralmente interrompe a fala dos outros e faz perguntas antes mesmo de serem concluídas, baixo nível de tolerância à frustrações ou erros, impaciência, instabilidade de humor, dificuldade em expressar-se, comunicação compulsiva e direta, dificuldade em seguir regras ou normas pré-estabelecidas, possui temperamento explosivo, dificuldade de manter relações interpessoais, muda de plano repentinamente, hipersensibilidade, possui sexualidade instável, etc.
O TDAH do tipo predominante combinado ou misto é necessário que a pessoa apresente 6 ou mais sintomas de cada um dos tipos, de forma crônica e desde a infância.
Algo importante para destacar é o fato que a desatenção, a hiperatividade ou a impulsividade como sintomas isolados podem resultar de muitos problemas na vida de relação das crianças (com os pais e/ou colegas e amigos), de sistemas educacionais inadequados, ou podem estar associados a outros transtornos comumente encontrados na infância e adolescência. Portanto, para o diagnóstico do TDAH, é sempre necessário contextualizar os sintomas na história de vida da criança.
O Tratamento do TDAH deve ser multifocal, ou seja, uma combinação de medicamentos (psicofarmacoterapêuticos), orientação aos pais e professores (informações educativas), além de técnicas específicas (intervenções psico-sócio-educativas) que são ensinadas ao portador para que melhore seu desempenho e minimize suas dificuldades no cotidiano.
Uma questão de suma importância por ser complicador do diagnóstico e tratamento do TDAH na adolescência e na vida adulta é a comorbidade (ou seja, os transtornos e problemas que podem ocorrer em paralelo a outros).
Vemos que grande parte dos pacientes com TDAH que procuram ambulatórios especializados apresenta comorbidade. Portanto, o médico (neurologista ou psiquiatra) provavelmente terá que escolher a intervenção psicofarmacológica para o seu paciente levando em consideração a presença de alguma comorbidade. Isto é, para o tratamento ser eficaz deve levar em consideração três aspectos: os sintomas básicos, as comorbidades e os problemas emocionais associados (insegurança, baixa auto-estima, etc).
Algumas das comorbidades apresentadas pelos portadores de TDAH são: transtornos de ansiedade, Transtornos de Depressão, Transtorno de Humor Bipolar, Transtorno de Conduta, Transtorno Desafiador Opositor, Transtorno de Tourette, abuso de drogas ou álcool (dependência química), Distúrbios do Sono, Desordem na Comunicação (Distúrbio na Fala – Afasia, Distúrbio na Linguagem – Dislexia e Dificuldade na Escrita – Disgrafia), Transtornos de Aprendizagem, Transtorno Obsessivo Compulsivo, etc.
Por fim, é extremamente importante advertir que tratar de uma criança com TDAH é tratar toda sua família, pois não adianta dar medicação ou fazer intervenções se ela vai se deparar com um ambiente familiar não adequado e lembrar que os portadores deste transtorno precisam de bastante carinho e, principalmente, de paciência.

Ana Carolina Tomaz Cassas de Araújo. - * Psicóloga Clínica CRP 11/03773 - Trabalha atualmente com Psicoterapia Infanto-Juvenil, Psicoterapia para Idosos e Acompanhamento Familiar e atua na área organizacional (Recrutamento, Treinamento e seleção de Cuidadores de Crianças e Idosos).

6 de mar de 2009

Fazer o bem, sem olhar a quem.


Tudo aquilo que é feito com amor, dedicação e determinação é recompensado, pode demorar um pouco, ou até muito tempo, mas no fim, tudo o que fazemos de bom será reconhecido.
Por isso, faça o bem, mesmo que custe, mesmo que esteja difícil, mesmo que a pessoa ou a situação não mereça.
Faça o bem, não por alguém, mas para que ao fim do dia, você possa deitar e dormir, não apenas adormecer, mas dormir com a consciência limpa e leve, sabendo que ao menos você tentou.
O melhor de tudo, é que as pessoas, no fim acabam sendo levadas por essa onda, por essa força. Uma coisa gera a outra e assim vai seguindo a corrente.
Ao fim, o bem sempre vence.

Ótimo final de semana, se fizer sol (o que eu estou esperando a séculooos) Usem filtro solar e vão à praia!!!

_____

Recebi mais um selinho, da Balinha.


4 de mar de 2009

Quanta estupidez, quanta ganância...

Oi pessoas, hoje não to muito contente não.

Acho que vocês devem ter acompanhado o caso do Governador Jackson Lago, que foi cassado hoje, depois de tantos recursos, vistas, e mais outros tantos...

Foi muito engraçado ver toda a lista de acusações preparadas pela Roseana Sarney, quanta hipocrisia minha gente, uma mulher dessas com um velho louco e prepotente como o tal Sarney, são mesmo pessoas doentias, inescrupulosas, gananciosas. Não sei se vou me perder em minhas palavras ao falar a minha opinião de leiga, mas sei que a indignação está impregnada em mim neste instante.

Eles afundam o Maranhão, controlam as pessoas, cargos, empregos e mais sei lá o que, só pra ter o prazer de ter alguém para ser submisso às suas vontades. Achei muito hipócrita falarem em abuso de poder econômico para ganhar as eleições, quando na verdade, eles (Sarney e Corja), sempre foram detentores deste, o usando para conseguri aquilo que querem. O Velho doido, tem ilha, sistema de comunicação (que na verdade usa para manipular aqueles que são menos esclarecidos), usam de ameaças, suborno e mais um tanto enorme de coisas para continuarem tendo o Maranhão no Cabestro. Quem falta ainda ver isso gente? Até a revista de reconhecimento mundial The Economist retratou o caso, quando o Senador José Sarney foi eleito presidente do Senado, falando que só mesmo em um país como o Brasil o Sarney chegaria a presidência do Senado, fazendo alusão até ao Feudalismo.

É, vamos acordar minha gente, porque enquanto uns nadam em grana e poder, outros estão literalmente sedentos de um mínimo de atenção.


Boa quarta a vcs!!