6 de jun de 2008

Atrofia Social

É triste ver pessoas que sem nenhum remorso, ou utilização da consciência, exploram e sufocam aqueles que ao chegarem a um certo grau de maturidade, continuam tendo que produzir e entregar o "suor do seu rosto", em benecifio de pessoas que nem ao menos reconhecem todo o esforço e tão pouco emitem algum sinal de agradecimento.

Fala-se muito a respeito dos "filhos do Lula", pessoas de baixa renda que recebem diversos "auxílios" do governo, muitas delas não buscam outro meio de vida - não tentam arrumar um emprego, vivem (sobrevivem) esclusivamente desses "auxílios", sem a preocupação de que estes um dia poderão cessar. Pois bem, fala muito a esse respeito, no entanto esquecem - ou mesmo escondem aqueles que são os" eternos filhos do papai", os "filhinhos e netinhos da aposentadoria dos pais-avós" que encontram-se na classe média, que vivem esbaldando-se também sugando o que podem e o que não podem dos - como muitos deles se referem - "velhos".

E, como conseqüência a tudo isso, temos em nosso meio, pessoas que são incapazes de arcar com as reações de suas ações, pessoas incapazes de tomar decisões próprias, pessoas incapazes de seguir seus caminhos andando com suas próprias pernas; pessoas não inseguras, mas despreparadas para seguir suas vidas sem ter que usas as outras como "moletas".

Deparamo-nos por vezes com individuos que crescem, mas são incapazes de resolver seus próprios dilemas.

Crescer é além de tudo, aprender a se responsabilizar e resolver suas escolhas certas e suas escolhas erradas, não culpando os outros por aquilo que nos dispomos a fazer de nossas vidas.

2 comentários:

Cássia disse...

As consequencias de nossos atos é única e exclusivamente nossa.

E DE MAIS NINGUÉM.


PORTANTO: ATURE-SE!


PARABÉNS PELO POST E PELO BLOG!


bJUSS

Sara disse...

Concordo prima...
Em gênero, número e grau hehehe

bjoss